24.P2-Poder

EXERÇA COM MODERAÇÃO

Sejam líderes políticos ou empresariais, em algum momento eles perdem a mão. E o problema é o mesmo, tanto na esfera pública como na privada. Sabe porquê? Porque existe grande perigo em exercer o que indica uma palavrinha, útil e necessária, capaz de, em algum momento, ir ganhando vida própria, até inverter o jogo. Dessa hora em diante, não é mais o líder que faz uso do poder para as suas conquistas, mas é o poder que faz uso do líder.

Sabemos, e os líderes também sabem, que a verdade é um valor superior, a ponto de ser considerada uma virtude aristotélica. A intenção original é, portanto, fazê-la valer acima de tudo. Mas o poder tem as suas próprias maquinações e, logo, não é mais a verdade que o orienta, mas é o poder que manipula a verdade. É quando a versão dos fatos prevalece sobre os próprios fatos e a fantasia, sobre a realidade.

Continue lendo

A-MAIOR-DE-TODAS-AS-CRISES_CAPA

A MAIOR DE TODAS AS CRISES

Qual é o maior problema que você enfrenta em sua empresa? Talvez arrisque transferir a culpa para a crise, devido à atual conjuntura, mas sabemos muito bem que o maior transtorno com o qual você se defronta tem nome e se chama comunicação.

Pare, pense e constate.

Vamos aprofundar um pouco mais o significado dessa palavra tão poderosa, cujos efeitos podem causar danos mais graves do que a propalada crise. Comunicação tem lá suas graduações. A primeira delas é a de transmitir uma mensagem. Para isso, basta um emissor, um interlocutor, a mensagem e o meio. Simples assim! Mas não funciona na maioria das vezes. É algo mais complexo. E não por defeitos na mensagem, no meio, no emissor ou no interlocutor. Os problemas de comunicação não residem nos fatores objetivos.

Continue lendo

25.P2-Virada

A GRANDE VIRADA

Todos temos o nosso momento de virada. Aquele de lagarta para borboleta. A hora de trocar a pele, de dizer sim, de atender o chamado, de partir. Evoluir é isso: um salto quântico na existência.

Algo nos impele para que sejamos quem verdadeiramente somos. Algo nos impulsiona para viver aquilo em que verdadeiramente acreditamos. Algo nos diz, ao pé do ouvido, o que precisamos ser e fazer.

Continue lendo

26-p2-referencia

Seja um Líder-Referência

Tem hora que não dá, mesmo. Só trocando. É o jeito. O líder que acredita que todos têm de mudar, menos ele, é causa de estagnação da empresa. Pois uma empresa evolui, cresce e se desenvolve quando o líder evolui, cresce e se desenvolve.

Uma empresa cresce em conhecimentos, quando o líder cresce em conhecimentos. Uma empresa se desenvolve emocionalmente, quando o líder se desenvolve emocionalmente. Uma empresa evolui espiritualmente, quando o líder evolui espiritualmente. O líder é sempre o exemplo. Para o bem ou para o mal.

Continue lendo

27-p2-atencao

EMPRESAS TAMBÉM SOFREM DE DÉFICIT DE ATENÇÃO

Eu costumava dizer que a comunicação é o principal problema da maioria das empresas. Antes de aprovar meu palpite, gostaria de acrescentar outro que pode fazer você mudar de ideia: a maior dificuldade, mesmo, é o “transtorno de déficit de atenção”. Pressinto alguns concordando, enquanto outros coçam a cabeça tentando compreender melhor a nova tese.

Existe um grande alheamento no ar, eis a questão! Muitas decisões erradas são tomadas por conta disso: falta de atenção, o que torna difícil eleger as prioridades. Prioridade, por sua vez, significa dar ordem às coisas, o que é de compreensão difícil em boa parte das empresas. E, se não há consenso nesse sentido, é porque as atenções estão dispersas, em distintas direções.

Outra prova do “transtorno de déficit de atenção”: também é comum nas empresas reagir mais do que refletir. Refletir implica dar uma pausa, ajustar percepções, avaliar o contexto para depois agir. Oras! Se realizado dessa forma, esse exercício será uma boa maneira de colocar a atenção onde ela deve estar. Mas, por acreditar em sua eficiência, as empresas limitam-se a ser reagentes. E reagir é raquetear, ou seja, viver o drama diário de pingueponguear bolinhas, ad eternum.

Continue lendo

10.P1-Cebola

AS QUATRO CAMADAS DA CEBOLA – O CLIENTE E SUAS NECESSIDADES

Ao aproximar-se de um cliente, aja como se o encontrasse pela primeira vez. Você não o conhece! E não se trata apenas de um artifício. Você não o conhece, de verdade!

O cliente tem uma quantidade incrível de informações sobre si mesmo às quais você não tem acesso. Por isso, quando estiver diante do cliente, faça-o como se estivesse com ele pela primeira vez. Transforme essa experiência em algo novo e criativo.

Para isso, a intenção conta muito. Qual é a sua intenção ao aproximar-se de um cliente?

Boas intenções levam você a querer compreender o cliente, descobrir o que ele quer, as recompensas que almeja, o seu estilo de comportamento, o que o deixará feliz.

Continue lendo

3630790749

VEJA SE VOCÊ SE SUPEROU, MESMO!

Como saber se você se superou? Vamos lá, confira alguns sinais relevantes. Isso acontece sempre que faz as coisas por si, sem necessidade de estímulos externos. Quando não necessita de peixes tóxicos para se interessar por algo ou alguém. Quando é capaz de trocar a motivação resultante de impulsos externos pelo entusiasmo derivado de impulsos internos.

Você se supera, também, quando vive tanto a sua autonomia, como a liberdade. Quando se sente não apenas livre de, que já representa um grande avanço, mas principalmente livre para, uma clara evidência de que caminha orientado por um farol lá na frente, o seu propósito.

Continue lendo

29-p2-nacao

COMO É A SUA NAÇÃO?

Nação lembra país, país lembra pátria, pátria lembra Brasil. E dessa pátria nem vamos falar, pois a mídia tem se ocupado diariamente dela, dando muitas vezes a impressão de que não a integra, da mesma forma que os que a habitam também parecem colocar-se à parte do que deveria ser uma unidade ou um único organismo.

A nação a que me refiro é a empresa, sistema organizacional que tem sido tema constante dos meus escritos e é a especialidade do meu trabalho. Afinal, uma empresa é isso mesmo: uma nação menor dentro de uma nação maior, com governantes e governados, e jurisprudência própria, formada por um conjunto de princípios e valores, explícito ou implícito. É feita de pessoas com as mais variadas competências, percepções e intenções, e que lidam com conflitos e políticas, aplicando suas dotações orçamentárias – de acordo com o pragmatismo dos resultados – com mais ou menos inteligência e justiça. No fundo, uma proporção reduzida do que denominamos nação, tal e qual. Ao compreender essa sociedade mais reduzida, talvez seja possível, com mais discernimento, entender melhor a sociedade em toda sua extensão.

Continue lendo

1333741495

Boa aura atrai

Empresas ancoradas em uma só dimensão da riqueza, a econômica, sofrem muito em tempo de crise. Mercantilizam a sua existência e tudo o que sabem fazer é trocar produtos e serviços por contas a receber. É um raso toma lá dá cá, sem outro objetivo que não seja “fazer dinheiro” para pagar as contas, as quais constituem o único estímulo para que tais empresas consigam continuar existindo.

É isso: as que se limitam dessa maneira não vivem, apenas existem. Falta-lhes conteúdo para que tenham vida. E esse conteúdo está nas outras dimensões da riqueza. A econômica jamais vai dar conta do recado sozinha.

Continue lendo

4091557280

Por que os clientes estão sempre insatisfeitos?

Theodore Levitt, o célebre guru de marketing, dizia que “não existem indústrias de prestação de serviços. Há apenas indústrias nas quais o componente de prestação de serviços é mais ou menos importante do que em outras. Todos nós prestamos serviços”. Vale acrescentar, ao pensamento dele: em alguns negócios, os serviços podem ser o “pulo do gato”, aquela fundamental diferença capaz de criar a empresa única.

Agora, responda sinceramente: como tem sido a sua experiência do “outro lado do balcão”, ou seja, no consumo? O padrão de serviços das empresas em que faz compras gera satisfação?

Alguns estudiosos denominam a atual era de Economia do Cliente. Mas observo que, apesar dos diversos programas de qualidade implantados nas empresas, as encomendas continuam atrasando, os técnicos não cumprem agendas combinadas, a espera no telefone é cada vez mais angustiante, etc.

Continue lendo