1136752152

Enfrente riscos e saia da zona de conforto!

Chamamos de zona de morta aquele espaço de vida em que estamos estagnados, alienados, naquele nem sei que não sei. Acomodados na santa ignorância. Aí não há aprendizado nem vida, apenas uma existência monótona. Mas a zona morta não é, ainda, a pior armadilha na qual se pode cair, distraidamente. Existe outra, bem mais perigosa e sorrateira: a zona de conforto. Sim, porque esta nos oferece algum tipo de prazer e de felicidade, ambos enganosos.

Continue lendo

1775042288

Para onde vamos agora e o que vem a seguir?

São duas perguntinhas cruciais e que remetem a uma busca de propósito. E agora, José? Às vezes, e não poucas, o que falta mesmo é um bom propósito. Seja a pessoa um empregado, um empregador, um estudante, a gravata sufocante pode ser justamente a ausência de propósito.

É bom não confundir propósito com objetivos e metas ou ainda com coisas a fazer. Encontrar-se em constante estado de excesso de ocupações pode ser algo decorrente de falta de propósito. Muito trabalho e baixo compromisso emocional é, na certa, pura ausência de propósito.

Continue lendo

tempo-dinheiro

Tempo é dinheiro!

Esse dito integra o fadário do mundo dos negócios. Sugere, e até enfatiza, que não há tempo a perder. Perder tempo é também perder dinheiro. Então, para quem pensa negócios e lucros, o tempo é uma variável fundamental nessa equação.

Quando transferimos o velho dito dos negócios para a vida pessoal, entretanto, a máxima pode se transformar em uma falácia. Pois se tempo é dinheiro, tudo o que se faz com o tempo, principalmente nas atividades de lazer, pode receber uma precificação negativa. E alterar o grau de bem-viver entre aqueles que têm mais dinheiro e os têm menos. Em suma e surpreendentemente: quem tem menos dinheiro pode ser mais feliz!

Continue lendo

original

Seu negócio é cosmético ou estético?

Você já parou para pensar se o seu negócio é mais cosmético ou mais estético? Assim, de relance, ambas as alternativas parecem semelhantes. Mas com um olhar mais aguçado, nota-se uma diferença profunda entre uma e outra. E essa diferença vai construir uma história mais ou menos promissora.

Entenda por negócios cosméticos aqueles que agradam o cliente, em um passar de vista. Aliás, esse é o efeito dos cosméticos, que tratam da higiene ou do embelezamento físico. Mas, quando o cliente se aprofunda, vai perceber que a coisa é provisória e não se sustenta como beleza, algo que – para ser consistente – depende da estética. Entenda por estética a harmonia que produz a verdadeira beleza.

Continue lendo

banner-blog

Deixe de viver no mundo da ilusão

Vi que você torceu o nariz quando eu disse que não acreditava em planejamento estratégico. Sei que não é fácil quebrar ícones que vigoram há décadas no mundo empresarial, endossados pela ciência da administração e por alguns empresários considerados bem-sucedidos.

Constate, a partir de sua própria experiência. Tem funcionado em sua empresa?

Continue lendo

banner-blog

Sempre existem vagas para os devotos

Muitas vezes, queremos resolver o problema do destino da nossa embarcação, da velocidade com que ela deve se movimentar, dos mapas de navegação que indicam por onde seguir, porém nada é mais importante do que a tripulação. Claro que estou usando uma metáfora: a embarcação é a empresa, o destino é a estratégia, os mapas de navegação são os controles apoiados pela tecnologia, mas acima de tudo o que conta, mesmo, são as pessoas. Mas, atenção: não se trata de qualquer pessoa.

Continue lendo

banner-blog

Como é bom saber

João da Silva analisa os últimos indicadores de desempenho. “Puxa, se continuar nesse ritmo não vou atingir o que estipulei para este mês. Pior ainda, nem vou conseguir dar minha contribuição para os resultados da empresa. Preciso fazer alguma coisa!”

Por onde começar? João da Silva se lembra dos conceitos da empresa plena. Sabe que precisa agir considerando o equilíbrio entre corpo, mente e alma. Sabe que a redução dos estoques (corpo) em sua área de responsabilidade, na fábrica, concorreria para os resultados da empresa, mas isso teria de ser feito sem afetar a promessa de cumprir prazos com os clientes (mente). Sabe, também, que se mantiver contato direto e estreito com a área comercial e o pessoal da programação da produção (alma) pode deixar os estoques em um tamanho adequado, sem prejudicar a qualidade do fornecimento aos clientes.

Continue lendo

banner-blog

Aceite o desafio de se comunicar bem

Já escrevi a respeito e penso que ainda vou repetir muitas vezes a mesma coisa: o principal problema que você tem em sua empresa é de comunicação! Acertei?

Não me consta que tenha errado em alguma enquete semelhante. Todos os consultados costumam concordar. Então, esse é um tema clássico e recorrente.

Comunicação é uma palavra que vem do latim, comunicare, que significa compartilhar. Compartilhar, por sua vez, implica estar em território comum. E essa é a questão: nem sempre as pessoas estão no mesmo território, principalmente líderes e colaboradores.

Continue lendo

banner-blog

A gente insiste, mas não funciona

Tem coisas que não funcionam, mas a gente insiste. Quer ver uma delas? Dar conselhos. Não funciona, mas a gente insiste, talvez por acreditar que sim. Quem sabe dessa vez? Mas avalie: tem dado certo? Claro que não! Seja na escola, em casa e, muito menos, na empresa. E, como você bem observa, nesse último ambiente, conselhos correm de lá para cá a torto e a direito, todos os dias. Os líderes devem mesmo acreditar que eles funcionam. Penso que você esteja lendo ressabiado. Ora concordando, quando lembra dos conselhos dados que não funcionaram, ora discordando, para não perder o chão, ao constatar que faz isso de maneira contumaz como líder.

Continue lendo

era-da-consciencia

Era da Consciência

O medo de aprender nos condena à ignorância. O medo de realizar nos reduz à impotência. Ignorantes e impotentes deixamos de ser quem somos. Assumimos a vida de criatura e nos tornamos vítimas e reféns de tudo e de todos. Como insetos, repetimos as mesmas coisas todos os dias, semanas após semanas, meses após meses, anos após anos.

Continue lendo